segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Princesa Desalento



Minh'alma é a Princesa Desalento,

Como um Poeta lhe chamou, um dia.

É revoltada, trágica, sombria,

Como galopes infernais de vento!

É frágil como o sonho dum momento,

Soturna como preces d'agonia,

Vive do riso duma boca fria!

Minh'alma é a Princesa Desalento…

Altas horas da noite ela vagueia…

E ao luar suavíssimo, que anseia,

Põe-se a falar de tanta coisa morta!

O luar ouve a minh'alma, ajoelhado,

E vai traçar, fantástico e gelado,

A sombra duma cruz à tua porta…

(Florbela Espanca)

5 comentários:

A Flor do Sul disse...

N'alma de quem viu
Ficou um pouco de quem mostrou.
Parabéns pela sensibilidade.

cantinho dos sonhos disse...

obrigado por visitar meu cantinho tambem sou uma adepta de Florbela Espanca.


bjinho e bons sonhos...

Izinha disse...

Vim te conhecer e vejo um lindo poema prá ilustrar essa bela manhã.

obrigada pelo carinho e pela visitinha..adorei.

bjos!

.: Phoenix :. disse...

Caracassssssss
Amo Florberla Espanca!!!
Show de bola, Fadinha!
Beijos no core.

Anne Scandell fadacom disse...

A dificuladade de ser uma princesa é expressada de diversas formas. Porém vc consegue nos passar que ser princesa é facil e especial. Que você seja inspirada pela Deusa a ter uma semana encantada. Bjão encantada de uma fadinha que adora voar.